sábado, 17 de fevereiro de 2018

MARKETING POLÍTICO - FINANCIAMENTO DE CAMPANHAS ELEITORIAS EM 2018.


A primeira informação que temos que passar, é que durante o carnaval, o TSE liberou mais 888 milhões para as campanhas eleitorais.

Com essa decisão, o dinheiro público que será usado soma o total de, acreditem se quiserem, 2,5 bilhões de reais.

O que mais causa indignação, é que a maioria desses valores serão retirados das emendas dos deputados que iriam usar nas suas bases eleitorais para saúde, educação, habitação e outras demandas tão necessárias a população brasileira.

Durante o carnaval o TSE também estabeleceu a possibilidade dos candidatos bancarem sua campanha com o dinheiro do próprio bolso, ou seja, quem tiver mais dinheiro poderá colocar seu poder econômico na campanha eleitoral, dentro do limite estabelecido.

O poder econômico ira falar mais alto nessas eleições. 

Só para reforçar o comentário: 2,5 bilhões de dinheiro público para candidatos gastarem em sua campanha eleitoral.

É hora de relembrar Margareth Tacher ex - primeira ministra britânica que afirmava: - não existe dinheiro público, existe dinheiro retirado das famílias.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

MARKETING POLITICO FAKE NEWS


Vamos falar sobre fake news ou traduzindo ao pé da letra para o português noticias falsas na internet

Esse termo ganhou mais força após a eleição do presidente americano Donald Trump e é usado para classificar aquela noticia que se espalha pela internet, mas que não tem fonte, data ou comprovação verdadeira.

Essa cultura de fake news já é usada no ambiente politico eleitoral há muito tempo aqui no Brasil, principalmente durante as campanhas eleitorais.

Qualquer um pode fabricar uma noticia ou até um perfil falso e colocar na internet a favor ou contra um candidato.

O compartilhamento desenfreado também é um problema em época de eleições. “a quantidade de boatos aumenta muito neste período. Na maioria das vezes, os rumores giram em torno de quem está ganhando nas pesquisas”.

Um simples boato pode derrubar toda uma campanha. 

A mais “leve” dessas consequências é reforçar o pensamento errado sobre determinada notícia ou candidato.

Em um nível mais elevado, porém, o usuário pode destruir a reputação de uma pessoa, prejudicar alguém e até contribuir com uma tragédia.

Em 2014, um boato do facebook acabou matando uma mulher no Guarujá, no litoral de São Paulo.

Dezenas de moradores espancaram Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, após confundirem a dona de casa com uma sequestradora de crianças. A publicação na rede social alegava que a tal mulher utilizava os pequenos em rituais de magia negra.

Mas então em que acreditar na internet?

Costumo colocar em minhas palestras que a internet em campanhas eleitorais é apenas um coliseu romano, onde lutadores dos partidos ficam se digladiando para saber quem ataca mais o concorrente.

Quem frequenta a internet durante a campanha eleitoral, na maioria das vezes, são militantes e simpatizantes partidários, ávidos para destilar seu veneno contra os partidos e candidatos adversários.

A internet perde cada dia mais sua credibilidade.

Não é a toa que uma emissora de TV todo domingo coloca um detetive virtual para mostrar as mentiras que a internet veicula.

A eleição está se aproximando, e você que é eleitor terá que decidir em quem votar.

A internet, em minha opinião nesse momento, não será uma boa conselheira.

E cuidado com a compra de voto.

Quando o eleitor só olha para o bolso do candidato, é porque não achou nada na cabeça dele.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

QUEM SERÁ BENEFICIADO SE LULA NÃO FOR CANDIDATO?


Num primeiro momento, candidatos de outros partidos de esquerda mais conhecidos do eleitor, como Marina Silva e Ciro Gomes, tendem a ser beneficiados. Mas o ex-presidente tem grande capital político e seu possível substituto no PT tende a crescer assim que Lula começar a pedir votos para ele na campanha


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao que tudo indica, não irá disputar a eleição presidencial em 2018, a menos que consiga reverter em tribunais superiores sua inegibilidade decorrente da condenação pelo TRF da 4.ª Região, a segunda instância da Lava Jato.

A possibilidade de uma eleição sem o petista levanta uma grande dúvida: quem irá herdar os 53 milhões de votos que hoje seriam de Lula?

A dinâmica da política impede uma resposta definitiva para a questão. Contudo, a última pesquisa eleitoral do Instituto Datafolha, confere 36% das intenções de voto ao petista, e a análise de especialistas dão algumas pistas do que pode ocorrer.

Se Lula desistir da candidatura, num primeiro momento a tendência é de que sejam beneficiados os candidatos de outros partidos de esquerda, mais conhecidos que o possível substituto de Lula no PT. Mas, durante a campanha eleitoral, a partir do momento em que o ex-presidente começar a pedir votos para o petista que irá substituí-lo, esse candidato tende a subir.

Apenas para lembrar, Lula tinha 83% de aprovação de seu mandato e seu apoio a Dilma levou a candidata a ter apenas 53% dos votos.

O Datafolha indicou que há dois candidatos que mais ganham se Lula deixar a disputa: a ex-senadora Marina Silva e o ex-governador do Ceará Ciro Gomes .

Ambos são de partidos mais à esquerda. E Marina, além disso, já foi filiada ao PT e fez parte do governo Lula como ministra do Meio Ambiente.

Nos cenários em que o Lula foi colocado como candidato, o melhor desempenho de Marina foi de 11% das intenções de voto. Sem Lula, ela saltou para até 17% – um acréscimo de 6 pontos porcentuais. É o mesmo crescimento do ex-governador do Ceará Ciro Gomes: seu melhor desempenho com Lula é de 7%; sem o ex-presidente, vai para 13%. Nas simulações sem Lula, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, colocado pelo Datafolha como o nome do PT, só chegou aos 3%.

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

JULGAMENTO DE LULA - MARKETING POLÍTICO


 

Julgado e condenado o Ex-Presidente Lula afirma que, mesmo assim, é candidato.
Em discurso para milhares de manifestantes na Praça da República, em São Paulo, o ex-presidente Lula se comparou a Tiradentes e ao ex-presidente sul-africano Nelson Mandela para atribuir a confirmação de sua condenação por corrupção na Lava-Jato ao descontentamento de parcela da sociedade com conquistas sociais de seu governo.
Cristiano Zanin Martins, advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou, na noite desta quarta-feira (24), à imprensa, em Porto Alegre, que a confirmação da condenação do petista não impede, "em hipótese alguma", que ele se inscreva como candidato à Presidência da República para a eleição deste ano.
A comparação com Tiradentes e Mandela cai em um verdadeiro engano por parte do ex-presidente.
Primeiro porque Tiradentes foi mártir e lutava pela liberdade do País e em outras condições e Mandela, foi preso politico e teve toda a população a seu lado para se eleger Presidente. Uma população que sofria com a descriminação e o racismo.
Nada a ver com o ex- Presidente Lula
O que se viu nas imagens da televisão, foi apenas sindicalistas, pessoas de movimentos sociais e centrais de trabalhadores empunhando bandeiras de seus movimentos e gritando palavras de ordem.
Realmente muito pouco pelo anuncio de que iriam fazer uma grande movimentação.
A população brasileira estava trabalhando e se preocupando em fazer o País dar certo.
Não acredito que Lula chegue a ser preso, mas, se for realmente levada a sério a lei da ficha limpa, ele com certeza será barrado para ser candidato em 2.018.
Alias O obstáculo principal de Lula é essa lei que ele mesmo sancionou. Em 4 de junho de 2010, o então presidente assinou a Lei da Ficha Limpa, que impede políticos condenados por órgão colegiado (mais de um juiz, como foi o julgamento agora) de disputar cargos públicos por oito anos, mesmo sem uma sentença definitiva (no Supremo Tribunal Federal, por exemplo).
Já temos hoje 14 candidatos a Presidência da República para 2.018. Com a condenação e a provável não participação de Lula como candidato, deve crescer ainda mais esse número.
São eles:
Alvaro Dias do Podemos
Arthur Virgílio e Geraldo Alckmin – PSDB
Ciro Gomes – PDT
Cristovam Buarque – PPS
Eymael – PSDC
Fernando Collor – PTC
Jair Bolsonaro – PSL
João Amoedo – Partido Novo
Levy Fidelix – PRTB
Manuela D’Ávila – PC do B
Marina Silva – REDE
Valéria Monteiro – PMN
E, se conseguir, Lula  pelo PT
Ou seja, teremos candidatos para todos os gostos no primeiro turno.
Cabe ao Eleitor escolher que Brasil quer para o futuro e escolher um candidato que possa pilotar essa nau, hoje, desgovernada.
Cesse tudo que a musa antiga canta. Que outro valor mais alto se alevanta.
 
 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

A RAPOSA E O GALINHEIRO - MARKETING POLÍTICO


 
 
 
Hoje, vamos falar sobre dois casos que tem pautado a mídia essa semana.

No primeiro caso, o presidente temer anunciou a nomeação da deputada Cristiane Brasil para ser a nova ministra do trabalho.


O problema é que, no quesito relação trabalhista, a ministra foi condenada a pagar divida trabalhista para um motorista que prestou serviços a sua família por três anos.

Ela também firmou acordo com outro motorista para evitar perder mais um processo.

O juiz Leonardo da costa couceiro, da 4ª vara federal de Niterói, expediu liminar suspendendo a posse da deputada federal Cristiane Brasil como ministra do trabalho.

Em sua decisão, conforme agências de notícias, o magistrado aponta que há vários indícios de que a escolha é contrária a princípios da administração pública.

Ele diz na sentença:

 “este magistrado vislumbra flagrante desrespeito à constituição federal no que se refere à moralidade administrativa, em seu artigo 37, quando se pretende nomear para um cargo de tamanha magnitude, ministro do trabalho, pessoa que já tenha sido condenada em reclamações trabalhistas”,


A nomeação pode até ser legal, mas será que é moral?

O segundo caso       

O novo diretor do Detran departamento de trânsito de minas gerais, César Augusto Monteiro Alves Júnior, entregou sua carteira de habilitação, que acumula 120 pontos em infrações.

 A entrega do documento foi determinada pelo governo de minas gerais após reunião com o chefe da polícia civil, joão octacílio silva neto.

Alves Júnior continua no cargo. Ele foi nomeado em dezembro em 2017.

Os 120 pontos foram acumulados desde 2014, em 26 infrações de trânsito.

A maior parte delas é referente a excesso de velocidade.


delegado disse que havia aberto processo administrativo contra si próprio para apurar os 120 pontos na carteira de habilitação dele.

Ele alega que não recebeu nenhuma notificação sobre as infrações. (mas, perai, ele não é o diretor? Não é ele que tem que notificar?)

Além dessas infrações, Alves Júnior já havia tido a carteira de motorista suspensa por 60 dias em 2012 após acumular 50 pontos em 11 infrações, segundo o sistema do próprio Detran.

Ele ainda teria sido submetido a um curso de reciclagem.

Então, o que podemos dizer nesses dois casos é que, no Brasil, estão convidando as raposas para tomar conta dos galinheiros.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

ENERGIA EÓLICA IMPOSTOS - MARKETING POLÍTICO


Vamos falar sobre mais um dos projetos fantásticos de nossos deputados.


Trata-se de um projeto que tramita na câmara federal que pretende cobrar impostos sobre o vento.

você não ouviu errado não?

Taxar o vento. 

No passado tivemos uma presidente da república que quis estocar o vento, mas agora temos um deputado querendo cobrar pelo uso do vento.

Temos hoje 530 parques eólicos, (produção de energia elétrica através de pás que giram com a força do vento), sendo que 60% deles estão no nordeste.

Essa fonte de energia é renovável, não poluidora, aumenta a renda de moradores das regiões mais afastadas e proporciona que empresários possam se instalar no nordeste do país.

Acredite: o brasil será o primeiro país no mundo a cobrar royaltes sobre o uso do vento.

Quando estive na Espanha conheci parques eólicos fantásticos e a energia a um custo baixíssimo.

Porque será que toda vez que o brasileiro vai ser beneficiado com algum progresso, inventam uma conta para ser paga? 

Não se engane.

 Se colocarem impostos ou taxas sobre o uso do vento para produção de energia quem pagará esse imposto não será a empresa.

 Será você mais uma vez.

E mais fantástico ainda.

Já cogitam em cobrar impostos na geração de energia solar.

Temos sim que aproveitar 2.018, para trocar todos esses que ai estão querendo sempre tirar vantagem, sem olhar o beneficio dos brasileiros.

Lembram-se da campanha: ou o brasil acaba com a saúva, ou a saúva acaba com o brasil?

Vamos tirar as saúvas do congresso.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

ELEIÇÕES 2.018 - O QUE NOS ESPERA? MARKETING POLÍTICO




Estamos com o ano novo batendo a nossa porta e estão presentes em nossas vidas os temas emprego, retomada do crescimento e eleições.

E para ajudar Copa do mundo na Rússia.

Os eleitores brasileiros terão a oportunidade de votar em um novo Presidente da República, mas, chegam às urnas angustiados, deprimidos e preocupados com o futuro que os espera.

Nunca o País passou por um período tão traumático politicamente como agora.

Morte de candidato em 2014, reeleição de Dilma, crise econômica, desemprego, impeachment, novo presidente e Operação lava jato.

O enigma que permeia a cabeça dos Brasileiros será: que país veremos em 2.018?

Que candidatos se apresentarão e com quais propostas?

A partir de janeiro todas as pesquisas eleitorais que forem divulgadas deverão se registradas no TSE, mas isso não significa garantia de confiabilidade.

Não são pesquisas que devem dizer em quem você deve votar e sim sua consciência e preparo.

Conhecer cada candidato o que fez e o que promete fazer, seu caráter e sua história de vida.

Não adianta esperar que 2.018 seja diferente. É você que deve mudar.

Antes de votar estude bem o candidato. Veja se ele pensa como você, se responde aos seus anseios e desejos.

Para um feliz 2.018 temos que escolher um Presidente que no mínimo melhore as condições de vida de cada um de nós.